Logo

Resenha Histórica

Origens da Freguesia da Bordeira 

O território pertencente à Freguesia da Bordeira teve ocupação muito remota. Com base em investigações realizadas no âmbito da história e da arqueologia, constata-se que essa ocupação vem desde  as épocas do paleolitico e neolitico.  

Dos aglomerados mais importantes que constituem atualmente este território; Bordeira, Carrapateira, Alfambras e Vilarinha, pela documentação conhecida terão sido os núcleos mais antigos, como o atestam documentos e vestígios encontrados nestas localidades e suas imediações. 

Da documentação a que houve acesso “Livro Cofre” da Bordeira de 1676, folhas 27 e 28, consta que a Freguesia da Bordeira terá sido instituida pelo Bispo de Silves D. Álvaro III em 1464. Foram dois moradores deste lugar, então pertencente ao território da Igreja de Nossa Senhora do Cabo (Vila do Bispo), Gonçalo Adães  e Diogo de Almeida quem representou a D. Álvaro que se achavam a duas “compridas” léguas da sede da freguesia, ponderando os inconvenientes que isso trazia para os residentes. Em face das razões apresentadas , mandou o Prelado que fizessem a igreja e lhes daria cura. 

 Ao longo do seu vasto historial a Freguesia da Bordeira em termos administrativos integrou diferentes munícipios. Começou por pertencer ao de Vila do Bispo quando da sua criação, posteriormente por extinção e anexação deste ao de Lagos, passou a integrar o de Lagos (por decreto cuja data é ignorada) . Mais tarde, quando da desanexação de Vila do Bispo de Lagos, pelo mesmo decreto de 10 de Setembro de 1861, a Freguesia da Bordeira deixou de integrar o de Vila do Bispo e passou para o Concelho de Aljezur. Contudo, a 14 de Agosto de 1895, foi de novo anexada ao Concelho de Lagos, por extinção do de Aljezur. Para finalmente a partir de 13 de Janeiro de 1908 passar a pertencer definitivamente a Aljezur até aos nossos dias, por decreto que procedeu à respetiva restauração.

Foto-da-Bordeira.jpgEm 1840 por (Carta de Lei de 2 de Dezembro de 1840) foi autorizado o Governo da altura a proceder, de acordo com a Autoridade Eclesiástica, a uma reorganizaçâo das Paróquias do Reino. Foi então constatado pelas autoridades eclesiásticas que a paróquia da Carrapateira estaria em progressivo estado de degradação. Esta situação motivou estas Autoridades no sentido de proceder à união destas duas pequenas freguesias, transformando-as numa única. Por portaria de 3 de Agosto de 1848 foi ordenada a respetiva reunião, tendo sido suprimida a Paróquia de Nossa Senhorada Conceição da Carrapateira, unindo e anexando os seus paroquianos à de Nossa Senhora da Encarnação da Bordeira; por provisão de 30 de Setembro do mesmo ano do Bispo D. António Bernardo da Fonseca Luis. Estava pois consumada a união das Freguesias da Carrapateira e Bordeira, fato muito importante  na história desta Freguesia, por a tornar maior e mais populosa. 

Em suma esta é uma síntese resumida dos dados apurados da documentação a que se teve acesso, sobre a criação e posterior desenvolvimento da Freguesia da Bordeira. 

Bibliografia: 

Espaço Cultural 1 e 2 - Câmara Municipal de Aljezur – Monografia “Pequena Monografiada Freguesia da Bordeira do Historiador – José António Pinheiro e Rosa. 

- Textos dispersos - Professor Emanuel Correia


© 2017 FreSoft. Todos os direitos de autor reservados.